domingo, 29 de setembro de 2013

Sines, Grupo de Évora - reportagem III

Encerrada a 28 de Setembro
Fotografias de José Manuel Rodrigues:
Igrejinha  5/31/2011  17h41  e Reguengos 10/12/2011  12h40       

Em baixo:  Alqueva  4/5/2013  11h43 / Igrejinha  5/31/2011  17h41  
Reguengos 10/12/2011  12h40 / Sr dos Aflitos  Évora  2/8/2011 18h27/ Lisboa 2/3/2012  16h31 / Viana do Alentejo  2/17/2012  1h31       
         
Provas 1/3 (+ 3 P.A.) Impressão em pigmento sobre papel Ilford Gallery Gold Fibre Silk, 50x33 cm
Impressas pelo autor em 2013 




Sines, Grupo de Évora - reportagem II

Encerrada a 28 de Setembro, depois de ter sido apresentada, em diferentes configurações, em Évora (Palácio D. Manuel) e em Lisboa, na Pequena Galeria:




António Carrapato
e abaixo, David Infante
representado pela galeria Módulo

domingo, 22 de setembro de 2013

Costa do Sol 2, Maputo 2007









Maputo 2007



Costa do Sol



Catembe



Maputo

Em conversa com o Guilherme Godinho em Moçambique

Em campanha


Quem é o líder em campanha? Quem é? (Encontro de Coimbra, fotógrafo desconhecido)

Filipe Branquinho, duas vezes em Paris: Photoquai 2013 e "Present Tense"

No Photoquai, Musée du Quai Branly, as "Ocupações"

www.photoquai.fr





No exterior do Museu e na galeria interior


No Centro Cultural Gulbenkian, em Present Tense, a série "Chapa 100"




E também no acervo de A PEQUENA GALERIA, sob consulta

Re-inauguração



Dias 19 e 20 de Setembro

Uma associação cultural sem fins lucrativos registada no dia 16;

Um site a dar os primeiros passos:

http://apequenagaleria.tumblr.com/

um LOGO:

uma newsletter:









Dia 19

Dia 20


sexta-feira, 6 de setembro de 2013

A Pequena Galeria no Público

as galerias não se medem aos palmos, e as fotografias também não

Ainda não voltámos de férias mas estamos no jornal (Público, Ípsilon, hoje,6, pág. 19/20), graças à Luisa Soares Oliveira - com fotografias de Nuno Ferreira Santos: "Quatro galerias contra a crise", com a Belo-Galsterer, a Bloco 103 e a Mercearia de Artes Alves & Silvestre em Coimbra.

(...) "O caso de A Pequena Galeria é diferente.
É pouco maior do que uma
entrada de prédio, fica na Avenida
24 de Julho, também em Lisboa, e
dedica-se exclusivamente à fotografia
de pequeno formato. Sendo propriedade
de um conjunto de sócios
(Alexandre Pomar, Carlos M. Fernandes,
Guilherme Godinho, Carlos
Oliveira Cruz, Bernardo Trindade e
Ágata Xavier), quem fala por todos*
é o crítico de arte Alexandre Pomar,
que segue aqui as pegadas pouco
usuais do “pai” da crítica de arte em
Portugal, José-Augusto França, que
foi também proprietário de uma galeria
na década de 50**. “Sempre gostei
de fotografia”, afirma Pomar,
antes de salientar que o seu espaço
preenche uma lacuna no meio artístico
português. “A fotografia estava
a ser cada vez mais vista em
Portugal como um objecto fotográfico (,***)
de grandes dimensões, semelhante
a uma pintura, o que a torna
caríssima e inacessível. As galerias
tinham como principal objectivo a
venda destes objectos a instituições,
em vez dos pequenos coleccionadores
que, no estrangeiro, compram
muita fotografia de pequeno formato.”
Abriram a 22 de Março e, segundo
a página que mantêm no Facebook,
desde então fizeram “dois
salões, duas exposições colectivas****,
um leilão e três individuais.”
Quando a visitámos, mostrava um
conjunto de trabalhos dos fotógrafos
José Cabral, Luís Basto, Moira Forjaz
e Rogério Pereira. “O comércio não
é o único objectivo da galeria. Nesta
exposição, por exemplo, há 12 trabalhos
que são meus e não estão à venda.
E há também empréstimos do
Centro de Arte Moderna, que obviamente
também não são para vender.”
Nenhum dos sócios tem na galeria
a sua actividade principal. “Eu,
por exemplo, faço aqui sobretudo
mecenato”, acrescenta Pomar. Foi
ele quem acompanhou a itinerância
de uma exposição do chamado “Grupo
de Évora” a Évora e a Sines, onde
poderá ser vista no Centro Cultural
Emmerico Nunes até dia 28, com
trabalhos de António Carrapato, J.
Cutileiro, Pedro Lobo, José Manuel
Rodrigues e David Infante."*****
(...)

* não falo por todos, mas fui convocado a falar.
** de facto não fomos / somos proprietários: Na Gal. de Março, o França ocupou um espaço cedido, e agora eu integro um colectivo, uma associação em constituição. Mas é uma maneira de dizer, tal como a ideia de lhe seguir as pegadas 60 anos depois...
*** (,) sem virgula percebe-se melhor a ideia do quadro fotográfico
**** depois corrigi no fb: exposições de grupo em vez de colectivas.
***** O "Grupo de Évora" está em Sines (onde está principalmente o José M. Rodrigues no CAS) e o "grupo" "De Maputo" (José Cabral, Luís Basto, Moira Forjaz e Rogério Pereira - este numa presença ilustrativa) está no Centro Intercultura Cidade, em Lisboa - acertadamente ao Poço dos Negros.
Obrigado Luísa 

"Pose" (na STET), uma fotógrafa holandesa no Uganda: Andrea Stultiens



Pose, Ugandan Images
Photography and text: Andrea Stultiens
Graphic Design: Andrea Stultiens i.c.w. Marloes de Laat
Wire Stitched, 56 pages, 17.2x23.7 cm
English
ISBN 9789460830303
See all the images as panorama's in the album
€15,-- (Netherlands), €17,50 (Europe), €19,50 (outside Europe)
look inside

http://www.post-editions.com
Most Ugandans are unable to take a holiday. But it is possible for them to have photos taken with a better world in the background once a year.
Pose (Ugandan Images) shows us the photo studios of East-African Uganda as places where one can escape from reality for a short while. In this book, the reader can reconstruct the small studio space by folding out panoramic photos. Pose shows us what we are made to see, rather than what the world actually looks like. Or not?

In 2009, Andrea Stultiens received the Bouw in Beeld prize for Pose.
On the occasion of the exhibition and the publication of The Kaddu Wasswa Archive, her work Pose is now published in a notebook size (cahier).


http://www.anotherafrica.net:
"Xanadu, Where Are You?"
Pose (Ugandan Images)

Dutch artist and photographer, Andrea Stultiens takes a look at this particular juncture of portraiture photography and fantastical backdrops as found in the East African nation of Uganda in her book titled Pose (Ugandan Images). At first look the images appear nostalgic and soft, with a texture similar to photos that have aged with time and exposure. However, her photographs speak to the deeper issue of socio-economics, of the haves and the have nots. About how people who are unable to take vacations, resort to portraiture to transport themselves to their idyllic holiday spot, by the river, overlooking the sea etc. for that touristy snapshot that they can look on throughout the year.
Desire regardless of what form it takes is something influenced by our environment. Stultiens focuses on this area, this space where we take control of that environment and how we then “mould it into a fictional variant of ‘real life’ “and use photography to document it for posterity. ‘Pose’ is quite subtle yet very effective in beautifully illustrating this need to create a dream version of life that somehow looks more pretty.
Pose (Ugandan Images)

trazido da Stet: uma descoberta

http://www.andreastultiens.nl

a "on demand edition"...
Crafted, A book about Making and Taking
The craft industry represents and literally sells a country’s qualities. It is an industry in the primary, secondary and tertiary sector that makes use of the natural resources of a specific place. It refines those resources and sells them to tourists as a token of remembrance. This book shows the entire value chain in relation to Uganda, a country that has a thriving crafts industry with many Ugandans as well as foreigners involved.
‘Crafted’ deals with the production of the representation of a specific place in an age of globalisation.
Preview and/or order the printing on demand edition of the book here