segunda-feira, 10 de março de 2014

1934 Porto - Exposição Colonial - Henrique Galvão

(1934 e 1949 vs 1938).
O director é Henrique Galvão, que junta o fervor africanista a um gosto pesadam. anti-moderno, que fica argumentado em 1940 na sua oposição a António Ferro.
Armindo Monteiro, min. Colónias, Cerejeira, Carmona e Galvão

Fachada redesenhada do Palácio de Cristal


No interior remodelado sob projecto de Mouron Osório, a representação das Missões com manequins





 Fotos Alvão Porto


Participa no 3º Congresso Colonial Nacional, Maio 1930, onde foi discutido o projecto do Acto Colonial (Salazar é ministro interino das Colónias). (De províncias ultramarinas a colónias do  Império Colonial Português)
Acompanha o ministro das Colónias Armindo Monteiro à Exposição Colonial de Paris (que vendeu 33 milhões de bilhetes) e apresenta uma tese no Congresso Internacional de Imprensa Colonial, 1931, na qualidade de director do  'Portugal Colonial'  que fundara com o apoio da Comp. Nacional de Navegação. Defende o 'trabalho compelido'
 Em 1932, é director das Feiras de Amostras Coloniais de Luanda e Lourenço Marques, que apresentam os produtos das empresas industriais portuguesas. Em 1934, já com a patente de capitão, dirige a Exposição Colonial Portuguesa realizada no Porto - 16 Jun. 30 Set. (anunciada em 33). Inclui o I Congresso Militar Colonial (presente Norton de Matos), I Congresso da Imprensa Colonial (com um "viveiro do reviralho", acusa Armindo Monteiro), I Congresso de Intercâmbio Comercial com as Colónias, Congresso da Agricultura Colonial, I Congresso de Antropologia Colonial. (Eleição da "Rainha das Colónias" a 25 de Set.)
Álbum Comemorativo da Exposição. Cerca de 1 milhão e 200 mil visitantes. Tentou criar o Museu Colonial do Porto. (é aberto um Inquérito às contas, até 1940.)
Deputado em 16 Dez. 1934 - em Maio 35 renuncia.
Em 1935, Galvão, por indicação de Duarte Pacheco, é nomeado director da Emissora Nacional (4 Agosto 35 posse). Cortejo Etnográfico comemorativo do XI aniversário da Rev. Nac. planeado e org, por HG como director da EN - Maio 36, decorre na sua ausência.
1936, é nomeado inspector superior da Administração Colonial, em acumulação de funções. Viagens como inspector colonial, 1937. Relatório sobre a mão de obra de Angola para S. Tomé.
Abril 38, posse da Comissão dos Centenários. Em 1940 organiza a Secção Colonial da Exposição do Mundo Português, o Cortejo do Mundo Português e das Comemorações da Fundação da Nacionalidade.

segundo Francisco Teixeira da Mota, HG, 2011

Sem comentários:

Enviar um comentário